R Á D I O   A Z U L 

Título

17 SET 2014
17 de Setembro de 2014

"Favelado de Paris é "clochard", bebe vinho, declama Baudelaire e se veste de preto... Favelado do Brasil é herança do escravo que se refugiava nos quilombos, ele ri, ele canta, ele samba no pé, ele espera, ele continua discriminado. No passado, pelo senhor feudal, hoje, pela periferia pseudo elegante. Nas minhas andanças pelo mundo descobri a beleza arquitetônica, intuitiva, colorida e arrojada das Favelas do Rio, lembram  Mondrian dentro do azul. É atávico - favela é quilombo. A fuga começou na escravidão; hoje é cart ão postal." (Gilda Reis Netto - "Favela - Quilombo")

A sensibilidade de Gilda captura nosso olhar através de seu excelente trabalho com as cores, ora nas suas obras abstratas, ricamente sensoriais, ora em seus magníficos murais, onde a poesia de suas pinceladas revela o olhar crítico do mundo ao seu redor na forma de santos, anjos, crianças e gente do povo.  A carioca Gilda Reis Neto estudou arte no Brasil e na França. Bolsista do governo francês, foi aluna de Levino Fanzeres, André Lhote,
Ivan Serpa, Frank Schaeffer, Ives Brayer e Atelier Kokoschka, em Paris.

Seu trabalho já foi exposto em diversos países do mundo e seus murais encontram-se em Brasília e no Rio de Janeiro.

  • Salão Nobre do Ministério da Educação – Brasília – Projeto de Oscar Niemeyer. Tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.
  • Museu Casa dos Pilões – Interior do Jardim Botânico – RJ
  • Via Sacra da Capela do Espírito Santo – Macaé de Cima
  • Projeto da Arquiteta Ângela Brito Pereira – Nova Friburgo – RJ

João Vicente Salgueiros afirma: “Não há exagero cromático. A cor no seu justo tom, servindo para valorizar a forma, eis o esquema de nossa pintora. E isso ela consegue com grande perícia, demonstrando todo um passado de pesquisas e estudos.” 


“Anjos para matar a fome – eles são dirigidos a Instituições de Caridade tornando-se verba para os necessitados.”

(Gilda Reis Neto)

Voltar